O feminismo como agente de deterioração social – parte 2

Posted: June 20, 2014 in Ideologia, Movimento Vitimista, Uncategorized
Tags: , , ,

Mesmo sendo algo nocivo à sociedade por promover a destruição da unidade familiar, da civilidade, da moral, do sistema legal, e mesmo de profissões inteiras, o feminismo foi o sistema de engenharia social mais bem sucedido dos últimos dois séculos, e continua expandindo sua influência no meio acadêmico e na mídia, encontrando poucas denúncias ou oposição consistente, tendo já sido socializado no Ocidente, em partes do Oriente, e com algumas aparições no mundo islâmico.

Em teoria, o feminismo é uma ideologia que, tal qual o marxismo, baseia sua conclusão em premissas recortadas da realidade, para manipular o maior número possível de otários, perdedores, e frustrados, a perseguirem metas que conduzirão ou facilitarão os verdadeiros objetivos dos intelectuais por trás da ideologia. Mas porque é tão difícil expor o esquema pelo que ele realmente é?
Porque além daqueles que defendem e divulgam o feminismo por lucro pessoal ou por ignorância, aqueles que combatem o feminismo:

  1. Ou falham em fazê-lo por combater apenas os efeitos evidentes;
  2. Ou combatem apenas os efeitos prejudiciais aos próprios interesses (como os esquerdistas “anti-feministas” Robert Briffault e Ernest Belfort Bax);
  3. Ou falham em diagnosticar as causas que criam e mantém o feminismo, acabando por indiretamente contribuir com ele.

Guerra de muitos frontes

O feminismo precisou de bem mais do que lésbicas e brancas desocupadas de classe média-alta queimando sutiãs para ser bem sucedido. Entre alguns fatores que contribuem para o feminismo, podemos citar:

  • O feminismo é uma versão cancerígena dos papéis de sexo: os papéis foram fundamentados na biologia. Hoje, há quem diga que essa divisão era “injusta”, porém, essas pessoas não sabem e nem se interessam em saber sobre o cenário histórico onde essas divisões ocorreram e se aprofundaram. Não passa pela cabeça deles que, em tempos onde não existia tecnologia, ou o conceito de ‘polícia’, uma mulher grávida era um peso morto, e um alvo fácil para predadores, ou homens de tribos rivais. Conforme as sociedades foram se tornando mais ordeiras e menos perigosas, os papéis de sexo foram se balanceando naturalmente. O feminismo é uma intervenção artificial nestes papéis, pleiteando direitos sem deveres para as mulheres, e até certo ponto, que os homens possam abdicar de alguns deveres (é desse modo que elas conseguem seguidores masculinos) – contanto que tais deveres masculinos não sejam aqueles que beneficiam as mulheres. Você jamais verá uma feminista defendendo o direito dos homens optarem por não se importar com os problemas das mulheres, mesmo sendo as mulheres legalmente responsáveis por si mesmas, e por tanto, as únicas obrigadas a resolverem os próprios problemas. Mesmo que na prática, as mulheres não vejam problema em não se importar com problemas dos homens – mesmo os que elas mesmas causam. Isso é fundamentado em dois imperativos biológicos: o feminino, de reclamar para obter recursos para si e para a prole, e o masculino, de proteger e prover para os membros mais fracos da espécie. Ah, as mulheres não são fracas? Que tal uma greve policial, só que dessa vez nenhum homem protege nenhuma mulher?
  • Muitos não sabem o que de fato é ginocentrismo (que existe dentro do andronormativismo e nos trouxe até aqui), e tratam como se fosse ginonormativismo (feminismo) e ginolatria (manginismo).
  • Muitos homens contra o feminismo, o promovem indiretamente: mesmo com todos os pontos claramente anti-homem, e muitas vezes, algum conhecimento acerca do viés político do feminismo, muitos homens terminam por promovê-lo, seja por ginolatria, por ser uma notória rota de fuga de responsabilidades sociais, ou mesmo por ganhos materiais. Porém, o pior quadro são os homens anti-feministas que acabam promovendo o feminismo indiretamente, seja por não querer abrir mão de certos aspectos derivados do feminismo, como a promiscuidade feminina, seja financiando o movimento através de gastos com a indústria do entretenimento (revista Playboy, alguém?), a indústria do divórcio, do aborto, o consumismo de produtos de entidades ligadas as fundações internacionais, etc. Há os chefes manginas, que criam facilidades ou mesmo estropiam as normas de conduta nas empresas para acomodar os caprichos das mulheres, e mesmo as religiões abraâmicas ocidentais, que tem se modernizado, e com isso, adquirido uma postura relaxada em relação ao feminismo/esquerdismo dentro da Igreja – uma atitude não muito inteligente, visto que tais ideologias tem como um de seus objetivos, a destruição das instituições religiosas e sua substituição pelo Estado, na vida das pessoas.
  • O feminismo, assim como o socialismo, é um movimento heterogêneo, motivado por uma fantasia utópica em comum. Sendo consequencialistas que defendem a justificativa dos meios pelo fim, isso lhes permite adotar qualquer tática para atingir sua meta: um grupo de feministas agride incessantemente as mulheres não feministas, enquanto outro grupo oferece acordos de paz e promessas de benefícios, defendem e fazem apologia à piranhagem das mulheres¹ ao mesmo tempo em que condenam a objetificação das mesmas. Alegam interesse no bem estar dos homens enquanto utilizam um instituto de pesquisa econômica do governo e a mídia para fazer parecer que todos os homens do país são estupradores. A lista é extensa. Assim como no socialismo, todas as falhas, mentiras e buracos na teoria feminista serão atribuídas à agentes humanos, mantendo a definição utópica incólume, e apontando as “feministas boazinhas” (que são apenas trouxas idealistas alegóricas e inócuas) como as verdadeiras representantes do movimento, ao invés das líderes – estas sim, psicopatas e lesbonazistas.
  • O feminismo é financiado por homens: O feminismo era um bando de lésbicas e riquinhas mimadas insatisfeitas, sem qualquer importância, que encontraram sua porta de entrada para a sociedade quando se filiaram a esquerda ideológica – os marxistas/socialistas/comunistas. Várias líderes feministas de todas as épocas são publicamente conhecidas por terem laços (parentes, marido), ou mesmo serem membros de tais partidos. Margareth Sanger rodava na mão dos amigos socialistas do marido. Simone de Beauvoir era pratinho de micro-ondas de Sartre e cia. Betty Friedan era comuna. E como braço do movimento marxista, o feminismo é financiado pelas grandes fundações dos socialistas fabianos, como a Fundação Ford, e a Fundação Rockefeller – o cabeça da Rockefeller, Steven Rockefeller, admite que é socialista (6:49)². Muitos homens passam o tempo sendo contra as mulheres e esquecem esse pequeno – mas fundamental – detalhe.

Conhece o teu inimigo

A primeira coisa que toda pessoa contra o feminismo deve fazer, é exatamente aquilo que as feministas mandam todos fazerem, mas não fazem: aprender sobre o feminismo. Do contrário, opositores do feminismo continuarão combatendo efeitos variados de maneira reativa, sem jamais se aproximar da causa do problema de maneira proativa.


1 Tinha uma foto de marcha das vadias que era uma paranaense linda, mas infelizmente não consegui mais encontrar para linkar. As outras vadias devem ter apagado por inveja. O resto, num vale a pena botar link.
² Muitos se dizem socialistas e acham absurda a idéia de um bilionário que financia um movimento que diz ser contra pessoas como ele; eles não entendem o que é o socialismo ou como ele funciona. Por isso são chamados de idiotas úteis. A maioria das feministas se enquadra no termo pelos mesmos motivos.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s